Publicado em Deixe um comentário

Noa Vee: quebrando estereótipos de beleza feminina a partir da comunidade

Cada vez mais movimentos têm nascido junto à vontade de pessoas em quebrar com estereótipos, sejam eles de gênero, racial ou de beleza. No Reino Unido, a plataforma Noa Vee foi criada por Beth Fuller, uma garota de 21 anos que está se tornando uma liderança nesse movimento que promove mais diversidade na ideia de beleza feminina.

Para além dos perfis em redes sociais, como o Instagram, no qual Fuller reúne mais de 10 mil seguidores, também a plataforma possui uma revista online na qual publica conteúdos conectados a pessoas influentes no mercado da moda e da beleza. “Eu queria ganhar experiência em publicidade também, então liguei e enviei e-mails para todas as agências no nordeste [da Inglaterra] e dediquei algumas horas da minha semana em um trabalho como social media manager na agência Keltie Cochrane”, conta Fuller.

Com essa experiência adquirida e mais seus atuais estudos focados em literatura inglesa, a plataforma Noa Vee tem uma trajetória promissora ao se tornar um espaço seguro e online que celebra a beleza de cada mulher, assim redefinindo o próprio conceito e os padrões de beleza ao também remover os discursos opressivos em torno disso. “Quero quebrar os padrões de beleza e também criar consciência política. Queria passar a noção de que a identidade de uma mulher deve ser explorada, não definida para ser facilmente entendida. Então, é importante que a plataforma discuta padrões de beleza com abertura e com consciência política, não de forma superficial”, revela Fuller, que pretende fazer isso com textos em forma de ensaio, fotografia, entrevistas com criativos emergentes e artigos sobre marcas que têm permitido que as mulheres demonstrem sua própria identidade.

Para isso, Fuller tem o desafio de não fazer com que a plataforma transmita uma sensação de ser inacessível. “Eu não quero ficar falando de celebridades ou com pessoas com grandes públicos para poder crescer o perfil da Noa Vee – é extremamente importante que todos se sintam capazes de colaborar”, ela comenta. “As pessoas chegam até a Noa Vee a cada hora e adoram isso, por ser um espaço seguro online, e que tem uma conversa direta e consistente com aqueles que se interessam. Acho que parece muito mais uma comunidade do que uma plataforma online, o que faz com que essas conversas que tenho, sem dúvidas, a minha parte favorita do trabalho.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − dois =